Marcelo Ribas

Tempo’ // Jardins
Um mesmo, único espaço, exposto para registro em diferentes instantes. As imagens trabalham como marcadores da rotina do tempo, tempo, tempo. Um relógio de imagem do que muda e do que permanece. Aqui a fotografia, forma estática, para poder falar do transitório, se deixou fluída e cheia de luz, transformou o palco do tempo em branco e seus personagens em trânsito, em ponteiros.

‘Construção’ // Itaim
Quando um detalhe se replica ou multiplica, constrói o novo, forma um outro todo, brincando com o espaço. Aqui o artista brinca com a parte, e monta uma composição como um quebra cabeça de uma peca só… o olhar atento pode capturar o fragmento que se desdobrou compondo o todo. A imagem gerada, representação do desconhecido pode provocar e estimular novas leituras.